Produções milionárias no horário eleitoral gratuito

Pagamentos feitos pelas campanhas apenas nesse setor, pelos três principais candidatos à Presidência, já superam R$ 25 milhões

Por Lena Castellón

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disponibilizou nesta segunda-feira, 6, na internet, a segunda prestação de contas das campanhas dos candidatos nestas eleições 2010, com informações sobre as receitas e as despesas de cada candidatura.

Os relatórios demonstram que, se somados os pagamentos à área de produção de programas de rádio, TV ou vídeo, pelos três principais concorrentes à Presidência, o valor chega a R$ 25.119.968,01. Esse montante se refere à despesa feita, e não à estimativa de gasto.

Das três candidaturas – Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva -, é a da petista que mais pagou para a produção de programas para o horário eleitoral gratuito, que começou no dia 17 de agosto. De acordo com a segunda prestação de contas, foram gastos R$ 15 milhões nesse setor. O candidato tucano, que está atrás de Dilma nas pesquisas de intenção de votos, desembolsou R$ 6.245.758,40. Já a presidenciável pelo PV pagou R$ 3.874.209,61.

Na primeira prestação de contas, com valores atualizados entre 2 e 3 de agosto, a campanha de Dilma tinha relacionado pagamentos de R$ 4,5 milhões pela produção de programas de rádio, TV ou vídeo. A de Marina, por sua vez, já havia desembolsado R$ 1,3 milhões, enquanto que a de Serra não havia reportado pagamento na área.

Publicidade

Os relatórios apontam pagamentos em outras áreas da comunicação. Na publicidade por materiais impressos, por exemplo, a campanha de Serra pagou mais: foram R$ 3.875.467,02. Os valores da prestação de contas do candidato tucano foram atualizados até 03 de setembro, mesma data do documento da candidatura de Dilma. A presidenciável petista investiu R$ 3.428.255,90 na mesma área. A campanha de Marina Silva, cujo relatório foi atualizado até 2 de setembro, bancou R$ 1.730,270,00 à publicidade por materiais impressos.

Receita x despesa

Entre as três candidaturas, a que mais arrecadou dinheiro foi a de Dilma, com R$ 39.554.648,13, sendo que R$ 6,19 milhões são recursos vindos de pessoas jurídicas. Em seguinda, vem a campanha de Serra, com R$ 26.047.688, 21. Foram reportados R$ 2 milhões de recursos doados por empresas. No caso de Marina, a receita é de R$ 12.035.314,58, sendo que R$ 1 milhão são de pessoas jurídicas.

É importante ressaltar que esses recursos são separados entre “estimável em dinheiro” e “financeiro”. O primeiro se refere a “bens ou serviços que serão utilizados durante a campanha”, como explica o TSE. No relatório de despesas, há uma coluna que aponta “baixa de recursos estimáveis em dinheiro”. Ela também se trata de bens estimados. Ou seja, que não são desembolso financeiro.

Na parte de despesas, a candidatura de Dilma é a que mais gastou. No total, foram R$ 38.977.357,16. A de José Serra ficou em R$ 25.247,696,21. Já a de Marina, em R$ 11.781.660,65.

A candidatura de Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), que tem gerado barulho na mídia social, registra os seguintes números: receitas de R$ 46.390,00 e despesas de R$ 43.150,00. Os valores foram atualizados até 3 de setembro. A campanha de Plínio aponta que sua receita é composta de recursos próprios (R$ 33.950,00) e de pessoas físicas (R$ 12.440,00). Não há doações de pessoas jurídicas.

Confira abaixo outros pagamentos feitos pelas três principais candidaturas à Presidência, segundo os relatórios de prestação de contas divulgados pelo TSE:

Dilma Rousseff (PT)

– Publicidade por placas, estandartes e faixas – R$ 3.529.155,43
– Publicidade por jornais e revistas – R$ 4.289,44
– Publicidade por telemarketing – R$ 540 mil
– Pesquisas ou testes eleitorais – R$ 414 mil
– Eventos de promoção da candidatura – R$ 3.184.102,54
– Criação e inclusão de páginas na internet – R$ 4.108.800,00

José Serra (PSDB)

– Publicidade por placas, estandartes e faixas -R$ 171.429,40
– Publicidade por jornais e revistas – R$ 0,00
– Publicidade por telemarketing – R$ 0,00
– Pesquisas ou testes eleitorais – R$ 359.878,50
– Eventos de promoção da candidatura – R$ 312.446,48
– Criação e inclusão de páginas na internet – R$ 1.117.088,00

Marina Silva (PV)

– Publicidade por placas, estandartes e faixas – R$ 519.950,00
– Publicidade por jornais e revistas – R$ 0,00
– Publicidade por telemarketing – R$ 0,00
– Pesquisas ou testes eleitorais – R$ 234.776,31
– Eventos de promoção da candidatura – R$ 329.859,24
– Criação e inclusão de páginas na internet – R$ 593.020,01

Obs: vale lembrar que os números se referem ao que foi pago. Os gastos de uma determinada área podem ser reportados depois. Também podem ser feitas correções a qualquer tempo. Conforme esclarece o TSE, os relatórios discriminam gastos realizados e recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro que as candidaturas tenham recebido para financiamento da campanha eleitoral. A indicação dos nomes dos doadores – e os respectivos valores doados – será feita na prestação de contas final.

Fonte: M&M
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s